terça-feira, 12 de abril de 2011

A NECESSIDADE DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL

Ef 4:11-16

Introdução:

1.      Os Instrumentos para o Crescimento Espiritual. [o meio]
2.      O Propósito do Crescimento Espiritual [o alvo]

I.                   OS INSTRUMENTOS PARA O CRESCIMENTO ESPIRITUAL [11-12]

Esta afirmação de Ef 4:11-12 levanta algumas perguntas investigativas e elucidativas: [1] Quem concedeu? Cristo [v.8]. [2] Ele concedeu a quem? A igreja. [3] Ele concedeu o que? Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores-mestres. [4] Ele concedeu para que? Qual a razão?  “...com vistas ao aperfeiçoamento dos santos...”[v.12]

Paulo traça aqui a natureza do ministério pastoral. Os pastores são “presentes” “dons” que Deus concede a igreja para o aperfeiçoamento [amadurecimento, crescimento] espiritual dela.

A tarefa dada aos pastores por Deus é de levar o corpo [a igreja] a maturidade, a integralidade, um indivíduo completo que cresce em Cristo e na palavra.

Deus usa vários expedientes a fim de trazer a maturidade:

[1] Ele usa, é claro, é o Espírito Santo. O Espírito Santo é a pessoa divina da Trindade que promove a maturação dos santos. Assim, a obra do Espírito é amadurecer os santos.

Sois assim insensatos que, tendo começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne? [Gl 3:3]

[2] Ele usa as provações.

Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,  3 sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança.  4 Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. [Tg 1:2-4]

Deus em sua soberania e sabedoria vai enviar ao longo de nossa vida cristã provações para fazê-lo amadurecer.  Deus vai fazer você passar por lutas, provações, sofrimento, dores, perdas, e ele usará isto no seu amadurecimento.

Ils. Visitei irmã Fátima – Ela tem sofrido bastante fruto de uma grave enfermidade que acometeu.  Síndrome de Steve Johnson.  A visitei esta semana. E oramos juntos. Eu orei para que Deus se apiedasse dela e a curasse completamente. Mas busquei e tentei fazê-la entender que Deus estava operando para que através da dor e do sofrer ela crescem em fé, em confiança, em comunhão, em santidade. Disse-lhe que quando passamos por uma experiência como esta uma coisa que acontece é que avaliamos o que de fato é importante e valioso na vida. É meu deve pedir a Deus que ela possa crescer em meio a tudo isto. E eu creio que assim fará.

[3] Uma terceira agência de sua maturidade é a Palavra de Deus.

Desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação, [I Pe 2:2]

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra [II Tm 3:16]

Como pastor o Espírito Santo não precisa de minha ajuda e Deus envia sabiamente opera pelas provações para meu aperfeiçoamento, mas é minha responsabilidade usar a Palavra [ensino] para trazer maturidade ao corpo.

Qual é o foco central do ministério pastoral? Para que Deus concedeu a igreja os pastores-mestres? O ministério pastoral não visa aumentar o prédio, nem o número de membros, eu não estou preso algum tipo de psicose de sucesso. Pois para alguns [pragmáticos] sucesso é ter uma igreja lotada, sucesso pastoral é medido pelo tamanho do prédio ou pelo número de pessoas que assistem, ou pelo quem assiste. Isto não é bíblico. Deus chamou os pastores para levar a maturidade o corpo de Cristo.

A minha responsabilidade como ministro do evangelho, como mestre da Bíblia, é não fazer programação, nem esta a frente de programa social, nem entreter a igreja. A tarefa que eu tenho é [1] aperfeiçoamento dos santos [2] desempenho do seu serviço [3] edificação do corpo. Qual o propósito do ministério pastoral? Para que um pastor foi dado ou é dado a igreja? Para...

1.      Para o Aperfeiçoamento dos Santos. [separados]
Existem três tipos de perfeição que a Bíblia fala.
[a] Perfeição posicional. Ou seja, estamos perfeitos em Cristo diante de Deus. Em I Coríntios 2:6 , que temos visto em nosso estudo de I Coríntios, Paulo diz: "Nós falamos sabedoria entre os perfeitos". E lá ele faz referência aos crentes. Quando você creu em Cristo, você se tornou, nos olhos de Deus, perfeito em Cristo. [Cl 2:10]
Hebrews 10:14   14 Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados.

Assim, do ponto de vista posicional nós somos feitos perfeitos quando cremos em Jesus Cristo. Quando o pecado foi pago e removido, como uma barreira entre nós e Deus, em Cristo somos feitos perfeito.

[b] Perfeição final. Isso é algo que nós ainda não experimentamos, mas vamos experimentá-la no futuro. [Fp 3:12]
Hebrews 12:23   23 e igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados,
[c] Perfeição experiencial. [Maturidade] Trata da vida prática do dia-a-dia do crente. E esta é a ênfase que o apóstolo Paulo quer fazer em Efésios capítulo 4:12. Temos que nos aperfeiçoar, ou seja, crescer, amadurecer.
Aperfeiçoamento traz a ideia de totalmente equipado, adulto, maduro, completo e total. Deus não exige de nós a perfeição sem pecado. Ele está exigindo maturidade, completude, amadurecimento espiritual.
Paulo entendia isto e esta é deve ser a obstinação do pastor:

RA Colossians 1:28 o qual nós anunciamos, advertindo a todo homem e ensinando a todo homem em toda a sabedoria, a fim de que apresentemos todo homem perfeito em Cristo;

Temo o dia em que irei prestar contas e sem que irei fazer isto. Luto, oro e principalmente ensino, ministro para que haja crescimento espiritual.

ARA Hebrews 13:17 Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros.

Diante disto confesso que meu coração enche-se de gozo e prazer ao ver ovelhas deste rebanho crescendo, amadurecendo, firmadas, edificadas. Mas não deixo de lamentar e até mesmo chorar quando vejo que alguns insistem em se manterem deficientes, atrasadas, com meninice espiritual. Para vergonha de alguns digo que pessoas que chegaram recentemente possuem mais maturidade do que alguns que são reprovadas no básico da vida cristã. São repetentes!

Até mesmo o ministério de oração pastoral não visa que ore para que os irmãos tenham vida boa e regalada, para estejam livres de situações adversas ou que tenha tudo de bom e melhor na vida. Quando o pastor ora pelo seu rebanho e deve orar, ele deve sempre suplicar a Deus que seu rebanho possa ser aperfeiçoado e amadurecido.

ARA Colossians 4:12 Saúda-vos Epafras, que é dentre vós, servo de Cristo Jesus, o qual se esforça sobremaneira, continuamente, por vós nas orações, para que vos conserveis perfeitos e plenamente convictos em toda a vontade de Deus. 

Não é fácil tornar alguém um homem amadurecido. Que me perdoe as demais profissões e vocações tão importantes. Mas o ministério pastoral [vocação] tem um alvo nobre, eterno, singular e maravilhoso. Fazer com que o homem seja aperfeiçoado, amadurecido em Cristo.

Amado, como ministro de Deus, nunca estaremos satisfeito até que eu veja santos amadurecidos. Essa é a minha vocação. Essa é a razão por que ensinar a palavra de Deus. A chamada para ser pastor de ensino não é uma chamada para uma profissão. É um convite a uma paixão. Eu não pertenço à Igreja não para agradá-la, entretê-la, realizar programações, mas para trazê-la à maturidade, à perfeição, maturidade espiritual. Nada menos do que isso e todas as nossas energias têm de ser concentrados nessa área.

São diversas as exortações apostólicas para o pastor fazer isto:

Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino:  2 prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina.[I Tm 4:1-2]
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. [II Tm 2:15]
Até à minha chegada, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino. [I Tm 4:13]

Essa é a minha obrigação primordial, central. E minha missão não está completa enquanto entre nós houver menino na fé, que estejam presos a infância espiritual, engatinhando, não conhecendo a Palavra, não sabendo como usá-la na vida.

Aperfeiçoamento dos santos não só indica maturidade, mas unidade, união. Neste sentido vemos:

Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer. [I Co 1:10]

Agora veja, aperfeiçoando os santos, então significa duas coisas: uma, trazer crentes à maturidade; outra, união de todos os crentes em um conjunto harmonioso, onde estes membros são responsáveis uns pelos outros, amam uns aos outros, servem uns aos outros, ministram uns aos outros, exortam uns aos outros, restauram uns aos outros, oram uns pelos outros, perdoam uns aos outros. Então não é só para tentar trazer uma pessoa para a maturidade, mas para trazer o corpo inteiro de Cristo em unidade.

2.      Para o Desempenho no Serviço

O aperfeiçoamento dos santos não é um fim em si mesmo, este aperfeiçoamento visa o desempenho do seu serviço.

Quem deve servir na igreja? Os santos. Um monte de pessoas que pensam que o pastor tem que fazer tudo. O pastor é pau para toda obra. Há quem cobra e até valoriza esta visão. Não é um monopolizador ou centralizador. Que nega o sacerdócio de todos os crentes. Chamamos isto de clericalismo modelo romanista. Isso não é o que a Bíblia ensina. Pastores não fazem o trabalho do ministério. Eles se concentram na palavra, aperfeiçoar os santos e os santos fazem o trabalho de servir um ao outro. Ele não é um motorista do ônibus, sendo o único que dirige e os demais estão sentados ou mesmo dormindo. A igreja é o corpo, onde cada membro possui sua função e trabalha em prol do próprio corpo.

Serviço aqui é diakonia que não é a obra do pastor, mas dos membros, o pastor serve por meio da Palavra e a igreja serve uns aos outros. [O pastor é o maestro em uma orquestra, o técnico em uma seleção]. É minha responsabilidade ensinar a fim de que cada membro cresça, descubra seu dom, desenvolva e o exerça para glória de Deus e a edificação do corpo.

E para que você pudesse servir Deus o capacitou com um dom espiritual.

Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função,  5 assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros,  6 tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé;  7 se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo;  8 ou o que exorta faça-o com dedicação; o que contribui, com liberalidade; o que preside, com diligência; quem exerce misericórdia, com alegria. [Rm 12:4-8]

Se você tem um dom, então use! Use! Quem tem dom deve exercê-lo. Um dom não é um troféu que se coloca numa parede para se admirar.  Descubra seu dom e use! Servir liberta, liberta você do comodismo, da preguiça, do egoísmo, servir glorifica a Deus, edifica o corpo e faz muito bem a alma. Seja qual for seu dom use! [Farei uma série sobre isto].

[Nem toda depressão ocorre por isso – está focando em si mesmo – mas algumas ocorrem. Quando a pessoa só pensa em si e só se preocupa consigo mesmo ela fica doente de corpo e alma. Além do mais servir terá consequências eternas.] [I Co 15:58]

Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.[I Pe 4:10]

Deus deu-lhe um dom, você é um mordomo dele, não é seu, é para ser usado. Se você não sabe qual é descubra. Eu lhe dou uma diga. Procure servir em algum lugar e no exercício você decernindo e aperfeiçoando seu dom.

Creio todo cristão deve estar envolvido no ministério, no serviço espiritual para o corpo de Cristo. Você tem dons e eles não são para você, eles são para outra pessoa.

Essencialmente não nenhuma distinção entre pastor e ovelha, eu apenas sou um de você que possui determinados dons e uso [ensinar e aconselhar]. Mas não é para eu fazer tudo: visitar doentes, tocar violão, dirigir o culto, discipular pessoas, aconselhamento bíblico, evangelizar os perdidos, oração, pagamentos de contas, contabilidade financeira, serviço social [EBD, Timóteo, Conferencias Fiel, Apec, Pão e Palavra]

Quando os santos são equipados, amados, eles vão fazer o trabalho do ministério. Se a igreja está tendo dificuldade para obter o seu povo a razão é porque as pessoas não estão amadurecendo. Agora pode ser pecado em sua vida, mas poder ser um fracasso em sua maturidade espiritual.

Eu não posso negar que vejo pessoas crescendo e servindo ao Senhor com alegria entre nós! Como isto alegra meu coração!

3.      Para a Edificação do Corpo de Cristo

Veja o quadro comigo: homens são dotados a equipar os santos, os santos fazem o trabalho do ministério, a terceira coisa que acontece, o corpo é edificado.

Quando todos nós fizermos a nossa parte toda a igreja cresce, todo o corpo amadurece. Quando ministramos uns aos outros, quando servimos um ao outro, quando usamos nossos dons em beneficio do outro, então o corpo todo cresce com maturidade e vontade de Deus é feita. Queremos uma Igreja madura, não é? Não queremos uma igreja que possa estar neste mundo e representar Jesus Cristo? Ele vai acontecer, se equipar os santos e os santos fazem o trabalho do ministério, em seguida, o corpo vai ser edificado e Cristo será visível. Isso é o progresso para a perfeição.

Em suma: Cristo glorificado concede dons à sua igreja, sendo o pastorado um dom para igreja [o dom de ensino é primordial] tal dom visa aperfeiçoamento dos santos [maturidade e unidade], tal amadurecimento é manifesto no serviço, no exercício do ministério por meio do dons que Cristo concede ao corpo, no exercício do ministério dos santos, a igreja é edificada.  O segredo do crescimento não é campanha evangelística ou cruzadas evangelisticas, é o crescimento espiritual através do exercício dos dons no corpo. A medida que cada membro cresce no serviço, exercicitando os dons a igreja cresce naturalmente e saudavelmente.

Transição: Depois de considerarmos sobre os INSTRUMENTOS para o crescimento espiritual meditemos no alvo, no propósito do crescimento espiritual?

II.                O PROPÓSITO DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL [13-14]

Para que temos que crescer espiritualmente? Qual é o alvo para que nos empenhemos em crescer espiritualmente? Qual é a finalidade de nossa maturidade? Quais os efeitos, resultados e benefícios que conquistamos ao crescermos espiritualmente?

1.      Unidade da Fé [v.13]

Deus quer uma igreja unida. Maturidade leva ao serviço, serviço a edificação, mas um efeito da maturidade é unidade, um resultado prático é que nos tornamos um. O contrário disto é que se unidade sinaliza maturidade, desunião, divisão, intriga, discórdia no corpo denuncia meninice espiritual. Menino briga por tudo! Menino adora implicar! Menino adora fazer intriga! Veja o que ensina Paulo em I Co 3:1-3: 

Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo.  2 Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.  3 Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem? [I Co 3:1-3]

A divisão é uma manifestação da meninice espiritual, mas com o amadurecimento vem a unidade. Uma igreja dividida, fraturada, faccionada é uma igreja imatura. Além de trágico é um péssimo testemunho.

2.      O Pleno Conhecimento do Filho de Deus

Queremos que a igreja cresça no conhecimento do Filho de Deus. Nosso alvo é conhecer a Cristo. Este é um alvo nobre – um propósito pelo qual se movia Paulo

Philippians 3:8-10  8 Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo  9 e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé;  10 para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte;

Trata-se de um conhecimento profundo. Quando os homens dotados equipar os santos e os santos fazem o trabalho do ministério, e o corpo é edificado, haverá uma unidade sobrenatural e haverá uma experiência profunda e íntima comunhão pessoal com o Filho de Deus.


Precisamos e devemos crescer no conhecimento do Filho de Deus, tal conhecimento não é tão somente doutrinário, é relacional, significando confiança e intimidade. Não é conhecimento só de mente [cognitivo, intelectual], é também relacional, é pessoal [não é uma matéria, um disciplina, uma ciência], mas trata-se de uma pessoa, o Filho de Deus.

Todo crente sabe que conhecer a Deus é a melhor e mais sublime forma de conhecimento. Este conhecimento espiritual é uma fonte de fortalecimento para o crente. Fortalece a sua fé. O conhecimento fortalece o amor, assim como revigora a fé. O conhecimento abre a porta; e, por meio desta porta, vemos nosso Salvador. Ou, empregando outra figura, o conhecimento pinta um retrato do Senhor Jesus. E, quando vemos esse retrato, passamos a amar a Jesus. Se conhecemos pouco das excelências de Jesus, o que Ele fez e o que está fazendo agora por nós, não podemos amá-Lo tanto. No entanto, quanto mais conhecemos a Jesus, tanto mais nós O amamos.[Spurgeon]


3.      A Perfeita Varonilidade, a Medida da Estatura de Cristo

O terceiro resultado do crescimento é que nos tornamos semelhantes a Cristo. Quando maduro, o corpo é edificado, nós somos um, temos um profundo conhecimento de Cristo, e nos assemelhamos a Ele. Este é o propósito eterno de Deus:

Romans 8:29   29 Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

A medida que o contemplamos mais e mais parecido com Ele nos tornamos:

2 Corinthians 3:18   18 E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.

Quanto mais conhecemos uma pessoa, quanto mais andamos com ela, quanto mais tempo gastamos em sua companhia, quanto mais intimidade e proximidade, mais e mais nos assemelhamos com ela, nos tornamos parecida com Ela.

O conhecimento de Cristo penetra em nós e nos transforma a sua própria imagem. [Perfeita aqui fala desenvolvimento pleno, varonilidade fala de ser adulto.]

1 Corinthians 13:11   11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.

Esse é o alvo de todo o crente: crescer, amadurecer. Todos nós amamos crianças pequenas mas nenhum pai deseja ter para sempre um bebê, ele deseja e espera que seu filho cresça.

Ils. Há um caso aqui em Caucaia de uma mulher com 28 anos, que devido a uma deficiência de hormônio tireoidiano. Ela teria o que os médicos chamam de hipotireoidismo, ou seja, a tireóide não se desenvolveu adequadamente. Eles também afirmaram que se o caso fosse identificado logo no início, Maria Audete poderia ter se desenvolvido normalmente, física e intelectualmente. Ela não fala, não anda, e nem come sozinha.

Paulo usa toda uma terminologia do crescimento, ele fala de estatura, indicando idade e altura, aplica esta figura ao crescimento espiritual cujo padrão é a plenitude de Cristo. Esse é o alvo, esse é o padrão!

4.      Firmeza Doutrinária [v.14]

Paulo usa a figura da criança para contrastar o alvo da maturidade. Ser maduro implica em não ser como uma criança. Aparentemente pode parecer contraditório o que se estar dizendo. Pois Jesus afirmou:

E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.[Mt 18:3]
Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele. [Mc 10:15]

Há aspectos na infância que são dignos de serem imitadas, a humildade e a inocência, ou ausência de malícia, a confiança e a fome por “leite”.

Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidos.[I Co 14:20]

Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. [Sl 131:2]

Desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação [I Pe 2:2]

Todavia há aspectos na infância que devem ser superado pela maturidade. Vejamos alguns..[Já tinha falado que uma marca da meninice espiritual é desunião, briga boba e tola]

a.      Meninos são inconstantes.
Uma criança não sabe o que quer. Agora quer um brinquedo e chora por ele, mas poucos segundos depois deseja outro. Hoje quer muito participar de um passeio, mas se lhe for apresentado algo mais interessante mudará imediatamente de idéia.
Deus não deseja que sejamos inconstantes na vida espiritual. Mas firmado, arraizados. [Sl 78:8, Tg 1:8]. Se você é uma pessoa inconstante espiritualmente, ora aqui, ora ali, num vai e vem numa montanha russa espiritual, isto é um sinal que você precisa crescer. O servo de Deus maduro é firme, principalmente na doutrina, na verdade!
Paulo fala deste aspecto, e compara as crianças como barcos num mar tempestuoso, inteiramente à mercê de ondas e ventos [Tsunami] – agitados de um lado para o outro. Jogados de lá para cá. Sem convicção, sem raiz, sem doutrina, sem firmeza na verdade. Sua opinião é formada não da Palavra, não examinam as escrituras.
Paulo fala da “artimanha dos homens” [trapaceiros] dos falsos pregadores, pastores, mestres e apóstolos com seus falsos ensinos que engabelam meninos na fé, ingênuos que creem em todo o tipo de conversa.
b.      Meninos são influenciáveis.
Meninos são presas fáceis, ludibriados e enganados facilmente. Crianças são altamente propensas a serem manipuladas. Devido a sua inocência infantil, acreditam em qualquer promessa atrativa. [Ils. Gladis, chupeta e catchup] Podem cair em conversas de pessoas perigosas que procuram aproveitar-se delas ou fazer-lhes qualquer mal. É por isso que precisam de um adulto para protegê-las. Crianças não tem discernimento.
Na área espiritual acontece algo semelhante. Devido a falta de maturidade e firmeza na Palavra, muitos ficam a mercê dos manipuladores espirituais. Tais “crianças” são dominadas por seus “orientadores”, que as tratam como bem querem com o propósito de satisfazerem seus caprichos mais egoístas. Dão a eles seu dinheiro, seus bens, suas famílias, sua “fé”, seus corações, suas almas. E por não estarem firmados na Palavra são enganadas por muitos espertalhões religiosos, eles acreditam em todo tido de falsa promessa destes lobos.
Mas aqueles que se agarram a Verdade Bíblica como única regra de fé e prática são aptos a discernir as artimanhas dos falsos pregadores. É assim porque possuem a luz da Palavra, possuem entendimento de adulto. Estes não caem em qualquer conversa. Logo eles percebem que um ensino é falso, visto que tais ensinos não seguem as Escrituras que eles conhecem (Ef 4:13-15).
c.       Meninos crêem em fantasias
Crianças conseguem acreditar em personagens fictícios como “duendes” e “Papai Noel”. As crianças creem em fantasias devido ao pouco entendimento que possuem da diferença entre o real e o imaginário. Quando se tornam adultas elas conseguem fazer esta diferença.
Na área espiritual é o mesmo que ocorre. Meninos espirituais não possuem muito da luz única: A Bíblia (Sl 119: 97-105). Em vez disso eles se deixam levar por ditas “luzes” oferecidas por falsos profetas em suas “novas revelações”. Estas “luzes” na verdade não passam de lâmpadas queimadas. Para nada servem, pois mantêm as pessoas na ignorância de Deus e as afundam em terríveis fantasias. Porém o Evangelho Verdadeiro, que é segundo a Bíblia, liberta de toda esta ilusão de menino e leva os homens a uma compreensão adulta da realidade espiritual (At 19:23-29)!
Tais são os cristãos imaturos, são inconstantes, influenciáveis e fantasiosos, não são firmes, não possuem convicções fundamentadas na Palavra. Paulo fala de homens que usam a artimanha [trapaça, fraude] e a astúcia que induzem ao erro.
Qual a solução para esta meninice espiritual? É um boa e nutritiva dieta da Palavra, é apropriar-se da verdade, é seguir a verdade [v.15]. Somente o conhecimento da Palavra nos liberta da meninice espiritual. Somente ela nos fará amadurecidos. [I Tm 3:15-16]

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial